Mercado Central
Mercado Central
4.5
Omzet beïnvloedt de ervaringen die worden uitgelicht op deze pagina. Lees hier meer informatie.
De beste manieren om Mercado Central te ervaren
De omgeving
Adres

We voeren controles uit op beoordelingen.
De aanpak van Tripadvisor met betrekking tot beoordelingen
Voordat Tripadvisor-beoordelingen geplaatst worden, gaan ze door een geautomatiseerd trackingsysteem dat informatie verzamelt en de volgende vragen beantwoordt: hoe, wat, waar en wanneer. Als het systeem iets detecteert dat potentieel in tegenspraak is met onze communityrichtlijnen, dan wordt de beoordeling niet gepubliceerd.
Wanneer het systeem een probleem detecteert, wordt een beoordeling mogelijk automatisch afgekeurd, naar de junior bijdrager gestuurd voor goedkeuring, of handmatig beoordeeld door ons team van contentspecialisten die 24/7 aan de kwaliteit van de beoordelingen op onze website werken.
Ons team controleert elke beoordeling die op onze website geplaatst wordt en volgens onze bezoekers niet aan onze communityrichtlijnen voldoet.
Bekijk meer informatie over ons beoordelingsbeleid.
4.5
4,5 van 5 bollen171 beoordelingen
Uitstekend
90
Heel goed
49
Voldoende
25
Slecht
5
Vreselijk
2

Girl Takes Mundo
Manchester, UK148 bijdragen
3,0 van 5 bollen
jun. 2023 • Stellen
For an authentic market experience, visit Mercado Central. You will find the best prices for souvenirs and any other items you may be looking for including fresh fruit, flowers, candy and everything else in between. Just be warned that some food stalls may charge you higher prices as a tourist which was the case at Rosita's restaurant stall (My mom did recommend "Dona Mela" but unfortunately they were too packed) and most stalls may not be veggie friendly since this isn't common in Guatemala. (I did say, "Authentic", after all.)
Geschreven op 22 juni 2023
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

The Wandering Reviewer
Melbourne, Australië9.806 bijdragen
5,0 van 5 bollen
jun. 2023 • Alleen
I stopped at a market stall to look at a headband (which I bought) and began chatting with the vendor.
Meet Fiorella. Born in Antigua in 1971, she was fortunate enough to attend school for a few years but then had to support her family both on the farm as well as caring for her younger siblings.
Fiorella and her husband Ervon (who is quite frail at 56), have their own stall in the market and feel very privileged to stock this 2m x 3m space with tourist paraphernalia. Fiorella displays the usual popular traveller items. However, what stood out to me was the huipil (pronounced wē-pēel) she was wearing.
The intricately embroidered blouse was paired with a woven skirt. The skirt wraps around the body and then fastened with a woven sash called a faja (fah-hah).
My home stay host had me try one on and it’s a heavy and a hot outfit to wear.
These clothes and similar items combine weaving, dyeing, and needlework techniques that date back to the local Mayan culture.
Fiorella’s forte is hand sewing and embroidery. The blouse / top she is wearing (huipil) she sewed herself. Plus she sews them for all of her children. One huipil takes her 3 months to make and assemble.
Just take that in:
Three
Long
Months!
As a Mayan woman, she is proud to pass this tradition down through her family, particularly as Guatemala is one of the few countries in the world where these ancient textile arts still thrive.
We chatted for about a half hour using google translate, her little English and my appalling Spanish and another vendor who wanted to practice her English with me. We shared stories of our families and lives. I showed her a photo of my son Tiger and it made her jaw drop - “es un gigante”! Mayan people can often be short in stature.
During the 30 minutes we chatted, Fiorella continued to try and sell me more crafts but I declined.
I felt a strength in this woman, not unlike I’ve felt many times across the globe where women are the life-blood of the home and underpin their family’s journey. Her story touched me as many do.
Strength.
Resilience.
Conviction.
Humbleness.
Devotion to family.
When I left, I took her hand with a smile and gave it a gentle squeeze, passing into her palm $10 USA note. I typed into google translate: “From one mother to another. You are an amazing mother, wife and daughter. I wish you all the best in the future”.
Her head cocked slightly as she looked at the transcription and passed to her friend who could read (yes 65% of people Fiorella’s age cannot read in Guatemala: TBC). Her friend translated. She looked at me quizzically and smiled, then grinned, then a tear trickled down her cheek.
“Gracias Gracias preciouso mama”.
I put my palms together in a gesture of gratefulness 🙏 and nodded. She nodded back at me, her eyes now filled with tears.
It was time for me to pay it forward.
Thank you Fiorella for sharing and grounding me!

@intrepidtravel #intrepidtravel #bestofcentralamerica #guatemalamarket #antiguamarket #supportwomen
#payitforward
Geschreven op 20 juni 2023
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

arturo
San Luis Potosi, Mexico5 bijdragen
4,0 van 5 bollen
apr. 2023 • Vrienden
Bonito país. Mucho que conocer. Lo mejor es hacerlo con guías certificados, tanto para disfrutar como para garantizar un buen paseo y mejor seguridad, y también porque saldría más barato…
Geschreven op 22 april 2023
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

emily P
Flores, Guatemala11 bijdragen
5,0 van 5 bollen
apr. 2022 • Vrienden
Es un lugar para conocer la diversidad de gadtronomia que ofrece Guatemala, encontraeemos platos tipicos dulces, salados
Geschreven op 22 maart 2023
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

Chipilingt
Washington DC, DC4.147 bijdragen
3,0 van 5 bollen
feb. 2023
Una visita obligada si viene a la ciudad de Guatemala.
Es sin lugar a duda una visita obligada. Un edificio con múltiples sorpresas. Gastronómicas, culturales, sociales etc.
Cuenta con 3 o cuatro niveles. El lugar es limpio, organizado, seguro y agradable. El área de venta de comidas impecable todo el tiempo. Las ventas de artesanías son numerosas y de buena calidad.
Cuentan con un pequeño estacionamiento en el primer nivel.
Los precios de los alimentos y el mercado son estándar de los mercados locales
Geschreven op 13 februari 2023
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

Sam W
Gaithersburg, MD8 bijdragen
4,0 van 5 bollen
mei 2022
Went there on a Sunday morning. Not many people there as lot of Guatemalan are in Church. Did not spend a lot of time there and did not eat there. The place is a bit shady but in general it is safe. We did ask around prior to getting there. However, we bought so many things so we had to give up spending more time there but to take an Uber back to hotel.
Geschreven op 31 mei 2022
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

Klimt2013
São Paulo, SP690 bijdragen
5,0 van 5 bollen
feb. 2022
Ubicado en el centro, al lado de la Plaza de la Constitución, la Catedral y el Palacio de Cultura, el mercado central ofrece frutas, verduras y muchísimos productos locales, es ordenado y limpio. Se puede degustar sabrosas comidas locales y tiene una sección de artesanías guatemaltecas muy variadas y a buenos precios. Es una visita imperdible en Ciudad de Guatemala.
Geschreven op 8 februari 2022
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

angioletta57
Lugano, Zwitserland60 bijdragen
4,0 van 5 bollen
feb. 2022 • Stellen
Mercato molto carino per comprare frutta, verdura e souvenir o anche solo per vedere il folclore della Ciudad di Guatemala. Vale una visita
Geschreven op 7 februari 2022
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

stela R
Salvador, BA91 bijdragen
4,0 van 5 bollen
dec. 2019
O Mercado de uma cidade é o local onde podemos constatar a grande diversidade de culturas, tradições, hábitos, costumes e a forma de vida dos habitantes do país. Por isso, sempre reservo um tempo exclusivamente para conhecer pelo menos um dos mercados do local visitado. Na minha viagem à Guatemala, como existem muitos mercados, optei pelo Mercado Central, até mesmo pela facilidade de ir sozinha sem depender de guias turísticos, e foi uma experiência muito valiosa. O Mercado Central de Guatemala está localizado na Zona 1(centro da cidade) e nesta zona também estão os outros mercados, inclusive o grande Mercado Popular que muitos o confunde com o Mercado Central. Este, fica a duas quadras da Plaza de la Constitución, na parte posterior da Catedral Metropolitana, e, para chegar até o local, considerando como ponto de partida o Palácio Nacional de la Cultura, indo a pés, caminhe em direção ao lado direito da Catedral Metropolitana e vá descendo pela a 6ª calle até o fundo da Catedral, e na próxima quadra (entre a 8ª e 9ª avenida). Se optar ir pelo lado esquerdo da Catedral, siga pela 8ª calle) até o Museu Arquidiocesano de Santiago da Guatemala. Ali está ele! Na sua simplicidade, escondido no sub solo de um estacionamento, uma construção rude e com a fachada quase impercebível funcionando freneticamente após passar por quatro transformações em seu ciclo de existência. O acesso é totalmente livre e gratuito, aberto de segunda a sábado das 6 às 18 horas e aos domingos encerra às 13hs. Se desejar uma visita guiada, é melhor comprar um pacote turístico ou contratar um dos informantes que oferecem esse serviço naquelas redondezas. Eu preferi ir sozinha para ter mais liberdade e não encontrei dificuldades. Antes de visitar uma atração turística eu costumo buscar as informações sobre a história do local e levo um mapa rex (ou a planta baixa) para não perder muito tempo. Três a quatro horas foram suficientes para percorrer todo a parte interna e arredores do mercado que possui no total 1.200 espaços(lojas, boxes e barracas) que vendem de tudo, principalmente artesanatos de todas as regiões do país. Você também pode encontrar objetos de cerâmicas, acessórios e peças em jade, roupas e calçados, animais vivos, flores, frutas típicas regionais, especiarias e temperos, produtos e objetos para rituais religiosos, folhas desidratadas para chás (inclusive a exótica Rosa de Jamaica desidratada que é uma espécie de flor de tonalidade rosa forte que é muito utilizada na culinária guatemalteca para fazer refrescos, chás, doces, etc.), vários restaurantes de comidas típicas e da culinária regional com preços acessíveis. Em geral os vendedores são muito receptivos e gentis mas pechinchar é imperativo. O local é seguro e tem policiamento, mas, como todo centro de cidade, requer um certo cuidado com os bolsos e objetos de valor. Fiquei muito satisfeita com o pouco que comprei. Buscava umas bonequinhas guatemaltecas de pano com roupas típicas (huipiles) e pacotes do café local que é excelentes e muito mais barato que as lojas do aeroporto. Apesar do cheiro forte e enjoativo de carnes cruas, aproveitei para experimentar a culinária local. Dentre tantos restaurantes no local optei pelo “Los Olivos” e, por orientação da dona, pedi como entrada um típico “Caldo de Mariscos” que foi servido com “panecitos tostados” e, como principal, apostei no “Ceviche guatemalteco de camarão” servido com “temalito de chipilin” (veja nas fotos) muito saboroso. Na área sobre o Mercado está uma praça batizada em homenagem a anterior praça como “Plazuela de El Sagrário”, um espaço decorado com jarras (talhas) de cerâmicas e pedras. No entorno estão outras tantas lojas e barracas de produtos variados. Na escadaria da pracinha degustei uma taça de frutas cortadas e polvilhadas com “pepitas” (sementes de abóbora torradas e moídas). Se lhe sobrar tempo, vale a pena conhecer as lojas de piñatas como são chamados os bonecos, bichos e objetos usados em recreações infantis (na minha região a brincadeira é conhecida como “quebra-potes”). Como tinha reservado umas 4 horas para essa atração, fui parando em cada box para conversar e conhecer de perto um pouco dos costumes do povo, cultura da região e ouvir a história do mercado que vale a pena retransmitir bem resumidamente:
O Mercado de Guatemala teve sua origem nos meados do Século XIX na época que a antiga cidade de Guatemala foi transferida para o “Valle de la Ermita”, e, seguindo os costumes da população que faziam suas compras no centro das cidades, os comerciantes se instalaram na Plaza Central (hoje Plaza de la Constitución) e, com o desenvolvimento econômico da região, a atividade comercial cresceu muito, ocupando toda a Plaza Central (também conhecida como Plaza Mayor), inclusive tomando toda a frente da Catedral. Os comerciantes ao se instalarem no local utilizaram estruturas feitas com caixas e caixões de madeira onde colocavam seus produtos expostos à venda, e por isso, era conhecidos como “cajones “ou “cajoneros”. As autoridades eclesiásticas, incomodadas com ocupação da área frontal da Igreja e com a expansão do comércio no local, protestaram exigindo a retirada dos “cajones” e “cajoneros” e, em 1824, um pouca antes da Independência de Guatemala, houve uma tentativa de transferir os vendedores e a estrutura do comércio para uma área maior ao oriente da Catedral, conhecido como “El Sagrário”, e que se encontrava abandonada antes mesmo da cidade ter sido transferida para o Vale da Ermita. Iniciou-se então um projeto para construção de um Mercado Público nesta área. Entretanto, houve oposição do Conselho Eclesiástico que alegava ter direitos de propriedade sobre a “Placita do El Sagrário” onde existia uma capela semi-destruída e um antigo cemitério de pobres e vulneráveis que estava totalmente lotado e encerrado. Então, iniciou-se uma batalha judicial que durou muitos anos, continuando a Plaza Central servindo de mercado público a céu aberto. Em 1833 os “cajoneros” foram, por ordem judicial, despejados da Plaza Central e transferidos provisoriamente para a parte leste da Catedral. Apesar do projeto para construção do Mercado na Placita del Sagrário ter sido concluído desde 1831, não pôde ser executado pois a placita foi considerada anti-higiênica e a construção não iria satisfazer as exigência sanitária públicas antes de transferir os cadáveres do cemitério El Sagrário para uma outra área maior conhecida como “San Juan de Dios”. Iniciou-se então os trabalhos de exumação dos corpos, quando surgiram falsos boatos sobre uma epidemia causada pelo vírus do cólera morbo que tinha se espalhado pela Europa e Norte da América, causando muitos estragos e que estava se espalhando pela cidade em consequência da prematura exumação dos cadáveres. Tempestivamente a Igreja embargou a exumação alegando que, além de ser um lugar sagrado, a área era de propriedade dela. Na realidade não ficou comprovado nenhum caso do cólera em Guatemala. Ultrapassada essa crise o projeto para construção do Mercado foi retomado, mas as autoridades enfrentaram uma série de conflitos com a comunidade civil que se rebelou apoiando a Igreja na disputa pela área. Em 1850, o arcebispo da Catedral publicou um documento impedindo a construção do Mercado na área do El Sagrário, mas o Conselho da Cidade de Guatemala contestou apresentando os Decretos que autorizavam a construção de um mercado para a cidade com 48 lojas e 56 gavetas a fim de evacuar a Praça Central. Depois de anos de contendas, em 1855 o Conselho da Cidade e do Estado logrou um acordo com o Arcebispo e então foi emitido um novo Decreto que ordenava a compra dos bens do Tabernáculo e determinando a avaliação das terras cujas ações foram rapidamente compradas pelos moradores mais ricos das regiões. Assim, no dia 24 de outubro de 1869, foi lançada a pedra para a fundação do Mercado da cidade cuja construção foi concluída em 15 de fevereiro de 1871 e batizado com o nome de MERCADO CERNA. Antes de ser oficialmente inaugurado em 16 de outubro, mesma época do triunfo da Revolução liberal de 1871, ocorreu o seu primeiro evento social quando foi oferecido em suas instalações um banquete aos oficiais que participaram dessa revolução.
A construção em estilo moderno colonial custou 113 mil pesos (moeda da época) e ocupava um quarteirão inteiro, com apenas um piso térreo. Possuía portas gigantes para a entrada de transportadores e uma estação subterrânea de agua que abastecia todo o mercado. Estava dividido em duas partes: uma área denominada Praça Norte que era a parte exterior com 64 lojas onde eram vendidas roupas, acessórios, calçados, solas(couro) e ceras, louça, colchões, sal, carnes, grãos, especiarias e as cozinhas. E a Praça Sul, a parte interior do mercado, com 78 lojas ou “cajones” para venda de roupas e 210 espaços individuais com galpões, galerias, barracas, para venda de flores, frutas, legumes, etc.
Entre 1917 a 1918 o Mercado teve que ser parcialmente reconstruído em virtude dos graves danos causados pelos terremotos. Em 4 de fevereiro de 1976, o terremoto de San Gilberto causou irreparáveis danos em toda a estrutura e sem possibilidade de reconstrução. Anos mais tarde, por decisão do então prefeito da Guatemala, foi demolida toda a moderna estrutura e a fundação, restando no local apenas um grande espaço escavado profundamente, e no local foi construído um edifício rude para abrigar todos os comerciantes. Sobre o mercado está uma praça construída com o mesmo nome, em homenagem a antiga Plazuela de El Sagrário. Assim surgiu o atual Mercado, inaugurado em 12 de dezembro de 1982 com o nome de MERCADO CENTRAL DE GUATEMALA, que abriga um Centro de Artesanatos Nacionais e funciona até hoje, se tornando um dos lugares mais turísticos da cidade.
Depois da visita ao mercado, para fechar com chave de ouro, já que é muito próxima, sugiro que vá “Sextear”, como se referem os guatemaltecos ao passeio pela 6ª Avenida que antigamente era o ponto mais chique de Guatemala quando era conhecida como “Calle Real”, onde se instalaram os mais prestigiados comerciantes e funcionavam as melhores lojas de marcas, destacando-se as lojas de moda, salas de cinemas e onde funcionava o famoso “Cine Tikal”. Caminhe por essa curiosa avenida que na sua época áurea foi comparada com a quinta avenida de NY, e que após um plano municipal de revitalização, foi implantado o projeto “Paseo de la Sexta” incluindo nela elementos modernos como mobiliário e objetos de artes. Imperdível!
Geschreven op 8 mei 2020
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

Victoria L
Lake Atitlan, Guatemala54 bijdragen
3,0 van 5 bollen
feb. 2020
Huge market that actually can feel intimidating if you end up in the wrong part! Food stalls, arts and crafts, garden decorations and household goods are all on different floors and if you're a foreigner and you end up in a section only the locals go in you WILL be stared at haha! It's all good though, everyone is super helpful if a little pushy on occasion. I was told I could bargain there but I didn't feel comfortable doing that as everything is pretty inexpensive anyway.
Geschreven op 10 maart 2020
Deze beoordeling is de subjectieve mening van een Tripadvisor-lid en niet de mening van Tripadvisor LLC. Tripadvisor voert controles uit op beoordelingen.

1-10 van de 171 resultaten worden getoond
Omzet beïnvloedt de ervaringen die worden uitgelicht op deze pagina. Lees hier meer informatie.
Is dit uw Tripadvisor-vermelding?
Bezit of beheert u deze gelegenheid? Claim gratis uw vermelding om te reageren op beoordelingen, uw profiel bij te werken en nog veel meer.
Claim uw vermelding

Mercado Central (Guatemala Stad) - Alles wat u moet weten VOORDAT je gaat (met foto's) - Tripadvisor

Veelgestelde vragen over Mercado Central

Volgens Tripadvisor-reizigers zijn dit de beste manieren om Mercado Central te ervaren:


Restaurants in de buurt van Mercado Central: Bekijk alle restaurants in de buurt van Mercado Central op Tripadvisor